Melhor jogo de tiro para celulares?! – Call of Duty Mobile


(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)
Durante um bom tempo, as desenvolvedoras de jogos de alto orçamento ignoraram as plataformas móveis. Não que deixassem de lançar jogos para elas, mas geralmente quando você saia uma versão de um jogo conhecido de consoles rodando no celular, eram jogos completamente diferentes, os quais de certa forma subestimam o público que gosta de jogar nesse aparelho, pois entendia que as pessoas não gostavam de comandos complexos e nem de experiências parecidas com as de jogos maiores. Um engano que custou caro e fez com que empresas com a Garena lançasse jogos como Free Fire, um jogo de tiro em terceira pessoa estilo Battle Royale que até hoje é sucesso justamente por competir em um mercado que tinha gente querendo consumir jogos de estilos de sucesso, porém poucas desenvolvedoras grandes tinham interesse em explorar o mercado de jogos mobile. Aos poucos, as gigantes do mercado foram percebendo o erro que elas estavam cometendo em ignorar jogadores de plataformas móveis, que apesar de muitas vezes não terem muito dinheiro para gastar, são tão aficionados por videogames quanto aqueles que tem consoles de última geração. Vendo essa realidade, acredito que a Activision não poderia deixar essa chance passar e resolveu trazer para os celulares sua franquia de maior sucesso. Assim surgiu Call of Duty: Mobile. Continue lendo

Anúncios

5 sequências que viraram novos jogos


(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)
Muitos jogos que hoje nós conhecemos e amamos, quando estavam sendo desenvolvidos eram para fazer parte de outra série de jogos famosos, sendo sequências ou remakes de algum título conhecido, mas por motivos de direitos autorais ou por mudar muito a proposta do jogo original, acabaram sendo lançados como jogos totalmente diferentes. Quer saber quais são esses jogos? Continue lendo

Jogos Japoneses – Ascensão, queda e volta


(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)
Acredito que seja um pouco complicado as pessoas que nasceram nos anos 2000 entenderem isso, mas lá nos anos 80 e 90, a grande maioria dos jogos eletrônicos vinham do Japão. Empresas nipônicas como a Sega, Sony e Nintendo brigavam pela liderança do mercado, enquanto outras companhias não japonesas como a EA Games, Ubisoft e Rare trabalhavam conformes às regras que vinham do oriente. Isso era bastante estranho, pois em qualquer outra mídia como cinema, música, tv e literatura, as produções norte americanas acabavam dominando culturalmente o mundo inteiro, mas nos videogames, as coisas eram diferentes. Mas já se perguntou, por que isso aconteceu e a razão das coisas não serem mais assim hoje em dia? Então venha em uma viagem pela história dos videogames que já te explico. Continue lendo

Borderlands 2 – Superou o primeiro? – Análise


(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)
Depois do enorme sucesso do primeiro jogo da série Borderlands, a sua produtora Gearbox, não poderia perder a oportunidade de fazer uma sequência, já que a empresa é famosa por lançar diversas continuações dos seus jogos. Demorou até um pouco mais do que o esperado para Borderlands 2 sair, pois ele foi lançado 3 anos depois do primeiro, mas todo esse tempo parece ter sido compensado por um jogo que os fãs consideram o melhor da série. Continue lendo

4 estilos de jogos que já foram moda


(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)
Um dos grandes argumentos para dizer que os jogos atuais não tem muita criatividade é a moda do Battle Royale, o estilo de jogo que você cai em algum lugar com a missão de sobreviver contra diversos outros jogadores. Pessoas mais novas podem até cair nesse papo, mas a verdade é que a indústria dos videogames sempre teve as suas modas que de tão repetidas, encheram o saco e pouca gente faz jogos nesses estilos. Quer saber algumas modas de jogos que já tiveram seus dias de glória, mas hoje em dia são pouco usadas pelos desenvolvedores? Então veja essa lista: Continue lendo

Zueirama – O jogo mais brasileiro que existe – Análise

Por videogames não serem exatamente coisas baratas no nosso país, o público que compra jogos por aqui não é dos maiores. Por esse motivo, alguns jogos brasileiros nem tem suporte ao idioma brasileiro e são feitos para ser apreciados por pessoas de diferentes culturas. Ainda sim, existe uma cobrança enorme da comunidade que haja jogos que representem o nosso país, com toda a sua malandragem e zueira. Assim surgiu o Zueirama, um game lotado de referência que apenas quem nasceu no país do futebol, do samba e do banho na caixa d’água vai entender. Continue lendo