Grand Chase Mobile – Boa continuação ou decepção total?


(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)
O jogo de ação lateral e plataforma Grand Chase foi um dos mais populares no nosso país no começo dos anos 2000. Com seus gráficos e enredo ao estilo anime, somado a um modo competitivo viciante, o jogo se tornou um enorme sucesso, sucesso esse que não impediu a sua desenvolvedora, a KOG de descontinuá-lo e encerrar todos os servidores oficiais, para a tristeza de fãs que ainda jogavam o game. Logo o plano da KOG foi ficando claro, pois provavelmente já estavam planejando uma sequência direta do game e quando ela finalmente chegou, dividiu bastante opiniões, pois Grand Chase Mobile não é um jogo com visual lateral e nem teria versão nativa para computadores, sendo um exclusivo para celulares. Demorei um tempo para engolir minha decepção inicial e resolvi dar uma chance para essa sequência, afinal de contas, eu gostei do que fizeram com o Ragnarok Mobile, outro jogo que transportou um clássico dos PC para as plataformas móveis. Então o Grand Chase poderia ser tão bom quanto, não é verdade? Foi essa a origem da curiosidade para que eu começasse a testar o jogo e também o fato, de vocês, que acompanham o meu trabalho, terem votado nele em uma enquete que eu fiz. 

As grandes diferenças do Grand Chase Mobile 

Para aqueles que ainda tem dúvida se esse jogo é uma sequência, logo na abertura do game isso fica claro, pois mostra os últimos eventos do jogo original e as consequências dele. Basicamente os personagens antigos são espalhados por várias dimensões, uma bela desculpa para introduzir a história de novos heróis: O guerreiro convencido Kyle a a maga Cindy. Já dá para perceber nesses momentos iniciais, que a sequência, por ser um jogo mais novo, tem muito mais recursos para contar sua história, desde diálogos em quadrinhos até animações, embora as cenas animadas sejam bastante raras. Trata-se de uma trama até mais envolvente que a original, mas ainda sim bastante simples, nada que um fã de anime já não tenha visto milhares de vezes, o que não quer dizer que é ruim, pois usa bem os clichês de animações japonesas. Por ser uma continuação, o enredo presume muito que quem está jogando conheça a importância de alguns personagens clássicos, algumas vezes nem apresentando eles direito, embora o foco fique mesmo na trama envolvendo o iniciante Kyle.

Mecanicamente o jogo é bem funcional, porém não lembra quase nada a experiência do game original, pois você tem uma visão superior do mapa e controla um grupo de heróis, indicando onde eles devem se posicionar e quais habilidades devem usar, no lugar de controlar apenas um personagem. É bastante simples o gameplay, mas tem suas nuances, pois é sempre ideal combinar habilidades para destruir inimigos mais rapidamente, além de escolher quais heróis combinam melhor entre si.

Se você espera que esse jogo por ser mobile vai ter um monte de coisa para fazer, como tarefas diárias, você “acertou mizeravi”, pois quanto mais você progride no modo história, mais modos do jogo são liberados, como poder desafiar outros jogadores, recompensas por jogar todos dias, encarar chefes maiores, subir torres, enfim um monte de coisas para fazer, por isso se você tiver o jogo instalado no celular, será notificado a todo momento para que volte ao game.

Com o passar das fases, os desafios vão ficando cada vez mais difíceis, por isso será necessário melhorar os seus heróis com itens que você coleta cumprindo diversos objetivos, inclusive você também pode equipar as armas e armaduras neles, sendo que elas podem ficar mais fortes com melhoramentos. Sim, são muitas coisas que você precisa se preocupar, principalmente porque mais para frente você terá diversos heróis diferentes no seu arsenal, mas como toda a complexidade é apresentada aos poucos, ela contribui para deixar o jogo mais variado e viciante.

A vontade desenfreada de ganhar dinheiro

Toda a parte visual ganhou melhorias visíveis se comparada com a do jogo original, com traços de personagens bem bonitos e detalhados, além do próprio design deles estarem excelentes, mas logo percebi a principal razão desse capricho: Trata-se de um jogo de gatcha. Para quem não sabe do que isso se trata, gatchas são máquinas japonesas que dão brindes sortidos quando você coloca uma moeda nelas. Alguns jogos de celulares incorporaram essas mecânicas de conseguir itens e personagens com a sorte, sendo que os mais raros geralmente são os mais fortes. Algumas vezes dá para escolher quais heróis você pode pegar, mas outras o lance é ter a sorte de pegar os melhores que estejam nos níveis mais altos, tanto que uma prática recomendada pela comunidade de jogadores é o tal do “reroll”, que é apagar a sua conta e começar tudo do zero até conseguir na sorte um herói raro para começar na frente dos que não conhecem essa técnica. Obviamente os melhores heróis são os mais bonitos e os mais clássicos, o que contribuiu, para aqueles que não querem depender tanto assim da sorte, gastem um bom dinheiro no jogo. Por isso meus amigos, eu já adianto, esse jogo é pay2win com força e está ficando cada vez mais.

Várias formas de conseguir heróis e itens raros estão sendo cortadas pela desenvolvedora sem motivo aparente além da ganância, pois o jogo sempre estava ficando entre os mais rentáveis da loja da google. Mas por tentar forçar os jogadores a gastar dinheiro, várias pessoas que já torraram uma boa grana no jogo, sentiram que estavam caindo em uma armadilha e abandonaram o game. No ritmo que está, não vai demorar muito tempo para o jogo ficar vazio de jogadores, porém cheio de coisas para arrancar o seu dinheiro, uma fórmula que vai levá-lo a ser frequentado por uma quantidade pequena de jogadores que tem muito dinheiro para gastar, assim como já acontece em MMOs como o Perfect World.

Se não bastasse os problemas de monetização predatória, a mecânica principal fica repetitiva rapidamente e o motivo disso é o baixo incentivo para trocar de heróis no seu time, pois o mais recomendável é conseguir um personagem da maior classe que você puder, de preferência um SR, a maior classe do jogo que tenha nota 4,9 e ir jogando apenas com ele para sempre. Parece que o jogo sabe disso, por isso tem a opção de jogar em modo automático para que você não fique ainda mais entediado. Ao menos no game original tinha diversos combos de personagens que deixam as coisas mais dinâmicas, mesmo quando se encarava as mesmas fases.

Vale a pena jogar Grand Chase Mobile?

Se você gosta de uma história ao estilo anime e curte o design dos personagens do jogo, vale sim dar uma jogada, mas não se empolgue muito, depois de terminar o modo história, é melhor abandonar o jogo antes que seja tarde demais e você tenha gasto uma quantidade absurda de dinheiro nele.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s