Dragon Ball Advanced Adventure – O melhor jogo de Dragon Ball – Análise

(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)

Se tem uma série campeã de adaptações para videogames é Dragon Ball. Praticamente desde os anos 80, temos diversos jogos dessa franquia saindo todo ano, porém eu fico um pouco impressionado com alguns desses jogos são no mínimo medíocres e outros não são recomendados nem para fãs, pois trata-se de um dos animes de maior sucesso dos últimos 30 anos, continuando firme e forte hoje em dia, conseguindo ainda mais público. Eu, como sou um fã masoquista, já joguei vários deles, até os piores, acabei mergulhando no mar de porcarias feitas apenas como produtos licenciados. Muitas vezes dá para perceber que os desenvolvedores estavam fazendo aquele jogo mais por obrigação do que por qualquer outro motivo. Entre os raros casos que isso não aconteceu, o maior destaque que consigo pensar foi com Dragon Ball Advanced Adventure do game boy advance, um jogo que talvez muitos de vocês sequer ouviram falar ou pensaram que faziam parte de mais um dos jogos caça-níquéis com o nome da franquia.

Um coisa que me chama a atenção foi a escolha da fase do anime/mangá para adaptar, as primeiras histórias de Goku, quando ele ainda era criança e não estava preocupado com lutas que podem decidir o destino do universo, justamente porque na época do lançamento do jogo, a fase de maior sucesso do anime era a Z e essas primeiras histórias são meio esquecidas, o que faz a escolha de adaptar essa parte do mangá ser algo bastante ousado, porém assertivo justamente por ser diferente. No Brasil, essa primeira saga foi exibida pela primeira vez nas manhãs do SBT e eu ouvia lenda de locadoras sobre um jogo de aventura que você seria o Goku criança e iria em busca das Dragon Balls, jogo esse que não existia para Super Nintendo e tinha alguma coisa assim no nintendo 8 bits, porém eu sempre esperava um jogo de aventura mesmo, com plataforma e porradaria, mas isso só pode ser entregue de maneira satisfatória em Dragon Ball Advanced Adventure.

A proposta de usar o estilo de jogos briga de rua, também conhecidos como beat n´ups, estilo do qual o personagem sai na porrada com vários inimigos e progredindo por fases, pode parecer óbvio, mas não foi muito utilizado para adaptar Dragon Ball para os videogames e outras vezes que tentaram fazer algo do estilo, saíram jogos terríveis como o Dragon Ball GT Transformation do game boy advance e o Dragon Ball Sagas do Playstation 2, esse último inclusive é o pior jogo da franquia que eu tenho conhecimento. Trazer um jogo interessante no meio de um estilo saturado e ainda ser adaptação de algo que não foi criado para ser uma história de videogame, é uma tarefa bastante difícil e esse é o maior pecado da maioria dos jogos de animes de pancadaria. As regras do jogo não funcionam como no anime e os desenvolvedores geralmente tem que tomar decisões de ou deixar o jogo fiel e genérico ou ser um bom jogo e desagradar os fãs por fugir do material original, por isso admiro muito que Dragon Ball Advanced Adventure tenha conseguido fazer as duas coisas. A grande sacada do jogo foi apresentar suas mecânicas aos poucos da mesma forma como acontece no desenho, no qual Goku apesar de ser forte no começo, muitas coisas ele aprende com o decorrer da história, como a técnica Kame-hame-ha, que ele copia o Mestre Kame e acaba vindo um tutorial de uma nova técnica no jogo. O modo com que ele encaixa alguns subchefes durante a jogatina, você pode pensar que aquilo foi tão bem encaixado, que aqueles chefes só podem ter sido inventados para o jogo, mas quase todos eles vieram do material original, exatamente na ordem que eles aparecem na história do anime.

Em algumas partes da história, nas quais o Goku não pode usar armas, como nos torneios de artes marciais, o jogo traz um sistema diferente, um pouco parecido com o anterior, mas meio modificado para parecer com jogo de luta um contra um, o que faz você pensar que aquilo foi inserido para dar uma quebra na mecânica básica do jogo, porém, novamente essa quebra é segue a história original. Até os momentos em que a história apresenta lutas na nuvem voadora, isso é adaptado para o jogo também. Enfim, nem parece que aquela história não foi escrita para um videogame de tão bem adaptada que ela foi.

Essa fidelidade a obra comprometeu a diversão e os controles do jogo? De forma nenhuma. Em questão de gameplay, esse jogo faz tudo muito bem. É muito bom ver a progressão dos golpes básicos com o passar do jogo ou a Kame-Hame-ha ficando mais forte, aumentando as opções de ataques, sem que não deixe de ser intuitivo, inclusive contando com inimigos que vão forçar você a usar a máximo daquelas mecânicas, algumas vezes não deixando você concentrar seu Kame-Hame-Ha e forçando o confronto com os punhos e deixando o personagem mais lento quando ele concentra o poder, já que essa habilidade é mais poderosa que os golpes normais, trazendo um equilíbrio sem deixar o jogador impotente.

Acredito que esse seja um dos poucos jogos baseados na franquia Dragon Ball que posso recomendar para qualquer pessoa. É curto, porém depois de finalizá-lo, fica aquela vontade de rejogá-lo e existem alguns incentivos, como pegar todos os coletáveis espalhados pelas fases ou passar por caminhos alternativos, já que as fases não costumam sempre serem lineares. Pode ser que esse jogo não seja grandioso como Dragon Ball Xenoverse, porém posso garantir que ele cumpri muito bem sua proposta e é um dos melhores jogos do game boy advance.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s