Spark the electric jester – O Sonic brasileiro – Análise

(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)

Houve um tempo que o Sonic era um dos personagens mais importantes dos videogames, protagonista de uma das guerras de consoles mais icônicas entre Nintendo e Sega. Do começo dos anos 90 para cá, alguns jogos do ouriço da Sega decepcionaram os fãs e os jogos 2D do personagem foram renegados aos consoles portáteis e jogos menores. Assim acabou surgindo uma grande carências de bons jogos do Sonic e quem acabou suprindo essa necessidade foram os próprios fãs, que “arregaçaram as mangas” e começaram a fazer seus próprios jogos do ouriço. Muitos desses fãs mostraram que entendiam o personagem Sonic e o que fazia os jogos da franquia serem bons de uma forma que nem seus criadores demonstraram saber, tanto que um dos anúncios mais aguardados pelos fãs, o Sonic Mania, foi feito por desenvolvedores que vieram da comunidade de fãs do Sonic, que conseguiram portar muito bem os jogos clássicos do ouriço para os celulares. Um dos maiores destaques nessa comunidade é o brasileiro Felipe Ribeiro, mais conhecido como LakeFeperd, que depois de ter desenvolvido 3 jogos de Sonic, resolveu usar essa experiência para fazer o jogo Spark the electric Jester, um título nos moldes dos games do ouriço da Sega.

Assim como vários personagens de videogames dos anos 90, Spark é um mascote carismático, cheio de atitude, apesar da aparência de bobo da corte. Por ter perdido seu emprego para um robô, resolveu ir para a briga depois que as máquinas decidem dominar o planeta. Do Sonic, ele herda a velocidade e o design de fases ramificado, que deixa o jogador explorar vários caminhos, porém trazendo algumas novidades que deixam esse estilo de jogo mais dinâmico e diferente. Por padrão, Spark tem poderes elétricos, mas ele pode se transformar e ganhar outras habilidades que serão melhores a longa ou curta distância, cabendo ao jogador experimentar as habilidades e escolher as melhores para determinada situação. O sistema do jogo também conta com uma barra de especial, que quanto mais você ataca e não leva dano, mais ela enche, podendo liberar especiais de acordo com o poder que você está usando no momento. Essa possibilidade de trocar de poderes é um grande trunfo do jogo que deixa ele viciante até o fim, pois a todo momento você sente que o jogo muda, mas não é a única novidade interessante do game. O personagem também conta com um dash, que é um impulso para frente que pode ser usado a qualquer momento, o que faz você ganhar velocidade mesmo que não tenha impulso, algo que resolve uma coisa bem burocrática do Sonic de não poder passar uma rampa se não tiver a velocidade certa.

Sendo um jogo de plataforma 2D, Spark the electric jaster não poderia deixar de ter um bom design de fases e nesse ponto o jogo não decepciona. Apesar de algumas poucas vezes eu ficar perdido, principalmente quando volto para o ponto de salvamento e esqueço para onde ir, no geral as fases são variadas e com uma boa progressão, variando entre trechos de velocidade, plataformas e combates de inimigos. Algumas vezes ainda tem alguns trechos diferentes, como um que você tem que passar por campo de força para poder atravessar trechos de lava.

Se você procura por conteúdo, vai ficar muito satisfeito como esse game, que contém muito mais fases do que qualquer jogo clássico do Sonic, mais de 5 horas de gameplay para poder passar por todas uma única vez, o que é impressionante se levar em conta que essas fases contam com múltiplos caminhos e vários trechos explorados em alta velocidade. Se você está achando pouco, saiba que Spark the Electric Jaster te incentiva a passar todos os estágios mais duas vezes, por ter mais duas campanhas além da principal, uma delas você vai controlar outro personagem, mudando a forma que você explora as mesmas fases e com algumas coisas inéditas. O personagem Fark, por exemplo, não se transforma como o Spark e tem uma barra de vida menor, mas tem outras habilidades, como poder subir na parede e o parry, que se você apertar o botão no momento certo, pode escapar do ataque de qualquer inimigo. Durante a campanha de Fark, você vai enfrentar chefes inéditos que vão cobrar o domínio dessa habilidade de defender dos danos dos inimigos para encher uma barra que libera um modo invencível que enche toda a vida do personagem.

O que não falta nesse jogo é combate contra chefões. São muitos e a maioria deles na campanha do Spark serão apenas uma variação interessante no gameplay, porém na campanha de Fark, vão mostrar o verdadeiro potencial, pois você vai ter que observar os padrões deles para poder vencê-los e defender os ataques na hora certa.

Outro ponto excelente desse game é a trilha sonora. O desenvolvedor do jogo até abriu um financiamento coletivo para pagar, entre outras coisas, os compositores e valeu cada centavo, sendo animada e deixando o jogo ainda mais frenético.

Por enquanto, o jogo está disponível apenas para computadores, com um preço de lançamento de 15 reais, um valor bastante baixo para um jogo com tanto conteúdo e com tamanha qualidade. Se você algum dia gostou de jogos do Sonic ou algum jogo de plataforma da época do Mega Drive, deveria tentar Spark the electric Jasper.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s