Power Rangers o filme – Análise do jogo do super nintendo

(TODO CONTEÚDO DESSE TEXTO PODE SER VISTO NO VÍDEO ACIMA)

Com o remake recente de power rangers, talvez alguns podem se perguntar de onde que veio tamanha tosqueira que mais parece capa de caixa de placa de vídeo. Nos anos 90, a empresa que processou o jogo brasileiro Chroma Squad, resolveu adaptar de forma tosca séries de super heróis japoneses, mudando totalmente o roteiro e colocando autores americanos (america fuck yeah). Sei lá por qual motivo, essa série fez bastante sucesso e até eu mesmo assistia o negócio, embora hoje em dia não entenda muito porque gostava. Como ganhar dinheiro apenas com a série de TV era pouco, inventaram um monte de produtos licenciados, inclusive um filme, que contava com os piores efeitos especiais que provavelmente você já viu em um longa metragem. Ao menos uma coisa maneira saiu dai, que foi o jogo baseado no filme que era baseado na série que por sua vez era adaptada de um seriado japonês. Pois é, uma confusão desgraçada que não te culpo se você não entender nada.

O que importa é que Power Ranger o filme o jogo era um sucesso da garotada. Diferente de outras manias como Cavaleiros do Zodíaco, que não tinha jogo para Super Nintendo ou Mega Drive, nesse jogo você poderia controlar os heróis mais cafonas e politicamente corretos dos anos 90, embora nem tanto, já que o Power Ranger preto era negro e a Power Ranger amarela era asiática. Opa, espera, mas por que no jogo o power ranger preto é um cara branco e a power ranger amarela é negra? A empresa que gosta de processar desenvolvedores brasileiros, mesmo ganhando rios de dinheiro, mandou parte do elenco embora para pagar menos e por isso que muita gente estranhou a troca de personagens no filme e no jogo.

Mas enfim, você está aqui por causa do jogo não é mesmo? Então eu digo que é um bom game naquele estilo briga de rua, porém um pouco mais limitado que seus concorrentes. Na série tinha várias cenas de artes marciais que mal são representadas no jogo, já que os personagens não tem combo de golpes, como em outros jogos do estilo que só apertar o mesmo botão para soltar os combos de forma automática. Aqui o personagem só tem um golpe no chão e outro no ar, sendo que quando transformam, o golpe de todos os rangers ficam iguais, mudando só quando usam as armas.

Outra parada que deixa o jogo com cara de baixo orçamento é a falta de movimentação livre pelo cenário. Você só pode andar em linha reta e pular entre duas perspectivas, porém eu curti o que eles tentaram fazer. Pode ter sido feito para diminuir a grana gasta no jogo, mas deixou ele único, já que nessa época o negócio era simplesmente copiar o que Final Fight tinha feito mexendo muito pouco na fórmula e acredito que essa mudança que limita o movimento em Power Rangers o filme o jogo é bem vinda, pois traz algumas novidades interessantes, como você ter que mudar de perspectiva para escapar de algum dano ou coletar algum item.

Outra coisa interessante é que não lembro de um beat n up que mostra tanto como os personagens são no jeito que lutam. Billy, que era o ranger que eu mais curtia na infância, é o nerdão do grupo e luta de forma desajeitada. Claro que isso também pode ser interpretado de forma meio pejorativa, como as garotas que não parece que estão lutando. A Kimberly, que é a garota mais delicada do grupo, luta dando tapa, o que acho bem escroto, já que ninguém conseguiria lutar daquele jeito. A Aisha, a ranger amarela, luta parecendo que está batendo em uma bola de volley ou dando um pó de diamante, isto é, não parece uma arte marcial efetiva. De qualquer forma, quando se transformam ele perdem esse estilo de luta, já que todo ficam iguais, apenas mudando a cor.

Os inimigos do game, os famosos bonecos de massa, são todos iguais, mudando apenas de cor e residência a golpes. Os chefes que são um pouco mais criativos, já que você tem que descobrir a melhor forma de causar dano deles, não sendo aqueles chefes típicos desse estilo de jogo que simplesmente se comportam como inimigos normais, só que mais difíceis.

Se em outras partes do jogo podem despertar dúvidas, na parte sonora ele é excelente. São músicas originais animadas com uma batida meio rock, que lembra o que tocava na série de TV.
Se você está querendo as lutas de robô, pode esquecer que esse jogo não tem. Eles meio que compensaram isso lançando um jogo de luta apenas de robôs que na época, que cheguei a jogar bastante, mas nada excepcional.

Power Rangers o filme o jogo foi um bom material para quem curtia a série. Não é excelente, porém tenta algumas coisas nova no estilo e tem uma boa trilha sonora. Se nunca jogou e gosta da série de TV, recomendo que jogue porque é diversão na certa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s